Militares do 36°BPM apreendem 28 pinos de cocaína e maconha em cumprimento de mandado em Miracema

De acordo com a Seção de Comunicação Social do 36°BPM, na tarde desta terça-feira, 24 de maio, Policiais Militares procederam até a rua Professora Maria Tereza Sodré Linhares, no bairro Vila Nova, em Miracema para cumprimento de Mandado de Busca e Apreensão, expedido em desfavor de uma mulher de 28 anos.

Na residência, após buscas os militares encontraram R$35,00 em espécie, 01 aparelho celular, 02 tabletes de maconha e 01 pedra de pasta base de cocaína.

Já ao realizarem buscas em um terreno em frente a residência da mulher, os militares encontraram 28 pinos de cocaína. Diante dos fatos o caso seguiu para a 138ª DP em Laje do Muriaé, onde a ocorrência, a mulher prestou depoimento e foi liberada logo em seguida.

Militares do 36°BPM apreendem maconha e cocaína em residência no bairro Carvalho em Pádua

De acordo com a Seção de Comunicação Social do 36°BPM, na tarde desta terça-feira, 24 de maio, Policiais Militares quando em patrulhamento de rotina, receberam denúncias dando conta que dois indivíduos estariam realizando tráfico de drogas em uma residência no bairro Carvalho em Santo Antônio de Pádua.

De imediato os militares seguiram até a Rua Projetada, onde realizaram contato com um suspeito de 24 anos, sendo o proprietário da residência, onde foi lhe informado sobre a denúncia e o mesmo autorizou a entrada dos militares que no local também se encontrava um segundo suspeito de 22 anos.

Em buscas pela casa, os militares encontraram 43 porções de cocaína, 21 porções de maconha e R$194,00 em espécie.

Diante dos fatos o caso seguiu para a 136ª DP, onde o caso foi apresentado e confeccionado o Auto de Prisão em Flagrante em desfavor dos dois indivíduos com base no Artigo 33 da Lei 11.343/06, permanecendo os mesmos na carceragem da Delegacia a disposição da Justiça.

Varíola dos macacos: Anvisa esclarece que não recomendou isolamento

Agência diz que foram reforçadas medidas que já estão em vigor

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou uma nota nesta terça-feira (24) esclarecendo as recomendações feitas pela agência para retardar a entrada do vírus da varíola dos macacos no Brasil. Segundo a Anvisa, foi apenas reforçada a adoção das medidas que já estão em vigência em aeroportos e em aeronaves e que são destinadas a proteger “o indivíduo e a coletividade não apenas contra a covid-19, mas também contra outras doenças.”

Na nota, a Anvisa esclarece que não recomendou o “isolamento” como uma medida para o enfrentamento à varíola dos macacos.

“De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a varíola do macaco pode ser transmitida aos seres humanos através do contato próximo com uma pessoa ou animal infectado, ou com material contaminado com o vírus. O vírus pode ser transmitido de uma pessoa para outra por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama”, diz a nota.

A Anvisa informou que atua consoante com as ações das agências internacionais e de organismos mundias de saúde e que permanece monitorando a evolução dos casos da varíola dos macacos, mantendo um contato constante com o Ministério da Saúde. “Tão logo se justifique, serão propostas as medidas sanitárias, quando cabíveis, em aditamento às regras existentes e vigentes no Brasil.”

A doença

A varíola de macaco é uma doença pouco conhecida porque a incidência é maior na África. Até o momento, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) há 131 casos confirmados de varíola dos macacos, registrados fora do continente africano e 106 outros casos suspeitos, desde que o primeiro caso foi relatado em 7 de maio.

Diante do quadro, o Ministério da Saúde criou uma sala de situação para monitorar o cenário da varíola dos macacos no Brasil. A medida, anunciada pela pasta na noite desta segunda-feira (23), tem como objetivo elaborar um plano de ação para o rastreamento de casos suspeitos e na definição do diagnóstico clínico e laboratorial para a doença.

“Até o momento, não há notificação de casos suspeitos da doença no país”, informou o Ministério da Saúde, em nota. A pasta afirma que encaminhou aos estados um comunicado de risco sobre a patologia, com orientações aos profissionais de saúde e informações disponíveis até o momento sobre a doença.

Fonte: Agência Brasil – Foto: Marcelo Camargo

Policiais Civis da 136ª DP prendem homem pelo crime de estupro em cumprimento de mandado

Na tarde desta terça-feira, 24 de maio, Policiais Civis da 136ª DP de Santo Antônio de Pádua, coordenados pelo Delegado Titular, Dr. Mario Monnerat, saíram às ruas para cumprimento de mandado de prisão.

O mandado de prisão foi expedido em desfavor de um homem de 34 anos, referente ao crime de estupro ocorrido no dia 24 de janeiro de 2022 no município de Aperibé.

De acordo com a Polícia Civil, o indivíduo foi capturado no Centro de Santo Antônio de Pádua e conduzido para Delegacia onde após as formalidades o mesmo seguiu para o sistema prisional.

Anvisa pede uso de máscara para adiar chegada da varíola dos macacos no Brasil

Diante do aumento no número de casos da varíola de macaco, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu nota reforçando a necessidade de adoção de medidas “não farmacológicas”, como distanciamento físico, uso de máscaras de proteção e higienização frequente das mãos, em aeroportos e aeronaves, para retardar a entrada do vírus no Brasil.

A varíola de macaco é uma doença pouco conhecida porque a incidência é maior na África. Até o momento, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) há 131 casos confirmados de varíola dos macacos, registrados fora do continente africano e 106 outros casos suspeitos, desde que o primeiro foi relatado em 7 de maio.

“A Anvisa mantém-se alerta e vigilante quanto ao cenário epidemiológico nacional e internacional, acompanhando os dados disponíveis e a evolução da doença, a fim de que possa ajustar as medidas sanitárias oportunamente, caso seja necessário à proteção da saúde da população”, diz a nota divulgada ontem (23).

Ainda, de acordo com a agência, essas recomendações protegem não só contra a varíola e a covid-19, mas também contra muitas doenças infectocontagiosas.

“Tais medidas não farmacológicas, como o distanciamento físico sempre que possível, o uso de máscaras de proteção e a higienização frequente das mãos, têm o condão de proteger o indivíduo e a coletividade não apenas contra a covid-19, mas também contra outras doenças”, reitera a Anvisa.

Diante do quadro, o Ministério da Saúde criou uma sala de situação para monitorar o cenário da varíola dos macacos no Brasil. A medida, anunciada pela pasta na noite desta segunda-feira (23), tem como objetivo elaborar um plano de ação para o rastreamento de casos suspeitos e na definição do diagnóstico clínico e laboratorial para a doença.

“Até o momento, não há notificação de casos suspeitos da doença no país”, informou o Ministério da Saúde, em nota. A pasta afirma que encaminhou aos estados um comunicado de risco sobre a patologia, com orientações aos profissionais de saúde e informações disponíveis até o momento sobre a doença.

Fonte: Agência Brasil - Foto:DIVULGAÇÃO - OMS

Mantenha-se bem informado, mantenha-se conectado com a gente