Campos Fechará comércio outra vez para evitar colapso da Saúde

Segundo fonte do alto escalão do governo Wladimir Garotinho (PSD), Campos deve fechar novamente o comércio dos serviços não essenciais por conta do aumento rápido da ocupação dos leitos clínicos e de UTI’s das redes pública e privada para Covid-19. Nessa terça-feira (16), a evolução na taxa de ocupação foi de 68,91% nas UTI’s e de 73,17% nos clínicos. Segundo o blog Opiniões, do jornalista Aluysio Abreu Barbosa, uma reunião do comitê de crise foi convocada emergencialmente para esta sexta-feira (19), quando a decisão deve ser oficializada, com base em critérios estatísticos e epidemiológicos que indicam a volta da Fase Laranja. Para dar tempo aos comerciantes de se prepararem, ela deve passar a vigorar a partir da próxima terça (23).

Com a mudança de fase, a previsão inicial é de parar por uma semana, como aconteceu entre 19 e 24 de janeiro. O objetivo será tentar achatar a curva de contaminação da doença, que voltou a explodir com a chegada à cidade de variantes mais agressivas do vírus, e evitar o colapso da rede de saúde do município, para não deixar doentes morrerem sem direito a atendimento.

— Campos não é uma ilha. Com os 100% de ocupação de leitos para a pandemia no Noroeste e com Macaé já na Fase Vermelha, Campos, que está entre os dois, tem que se preparar também não entrar em colapso da sua rede de saúde — explicou a fonte do governo Wladimir.

Para se ter um ideia da gravidade atual, no Hospital da Unimed, os 17 leitos UTI-Covid estão ocupados em 100%. Os números desta terça-feira, quando comparados com os índices de segunda-feira (15), mostram o salto em 24 horas e chama atenção para quadro de internações: eram 63,38% nas UTI’s e 65,62% nos leitos clínicos.

A situação também se complica no Noroeste Fluminense (Bandeira Vermelha), com 100% dos leitos do SUS ocupados em Itaperuna (10), Bom Jesus do Itabapoana (40) e Miracema (6). Inclusive, seis pacientes aguardavam há mais de 24 horas vacâncias para serem internados, nesta terça. As informações são da Secretaria de Estado de Saúde.

Ainda nesta terça, um novo decreto atualizou as medidas de prevenção em Campos. Elas ficarão em vigor até a próxima segunda-feira (22). Dentre as medidas bares abertos até 21h, sem música ao vivo, restaurantes e congêneres em funcionamento até às 23h. Consta ainda a proibição de crianças, menores de 5 anos, em shoppings.

Boletim — Campos registrou desde o início da pandemia 778 mortes, 22.209 casos confirmados, dos quais 20.399 pacientes estão recuperados.

Genilson Pessanha

Filas e aglomerações para receber vacina

Filas e aglomerações marcaram a terça-feira (16) de vacinação contra a Covid-19 em Campos. Nem a ampliação do número de locais de vacinação conseguiu evitar.Na Uenf, um dos pontos de vacinação no sistema drive-thru, a fila de carros chegava a 4km na a BR 356 (Campos-SJB). No prédio anexo ao Hospital Plantadores de Cana (HPC), uma idosa chegou a passar mal. Quem aguardava para ser vacinado, em sua maioria idosos, reclamou da falta de organização.

Para tentar amenizar as aglomerações, a Prefeitura de Campos ampliou os pontos de vacinação ontem e nesta quarta-feira (17). No total são 8 locais disponíveis para imunização, que foram divididos de acordo com cada público-alvo e com a dose ofertada, com distribuição de senhas.

A aplicação da vacina está acontecendo para os seguintes grupos: primeira dose para idosos maiores de 79 anos, segunda dose para idosos acima de 90 anos e profissionais de saúde.

Ainda na terça, o Ministério da Saúde (MS) reconheceu, através de nota técnica enviada a Campos, que somente foram destinadas ao município 13% da quantidade de doses necessárias para cobertura vacinal de primeira dose das pessoas na faixa etária dos 75 a 79 anos.

A Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde estima que, nesta faixa etária, existam cerca de 25 mil pessoas, ou seja, a oferta de vacina recebida pelo Ministério da Saúde – 4 mil doses – foi bem inferior à demanda. A previsão é de que até o final da próxima semana todas as pessoas dessa faixa etária já estejam imunizadas.

Wladimir sanciona lei para punir “fura fila”

O prefeito de Campos, Wladimir Garotinho, sancionou leis aprovadas na Câmara Municipal que serão aplicadas durante a pandemia do novo coronavírus. Uma trata da multa para quem furar fila da vacina e outra sobre abertura de templos religiosos como atividade essencial.

A lei de autoria do vereador Bruno Vianna (PSL)prevê multa de R$ 25 mil para quem pular a fila da vacinação contra Covid-19. Se for agente público que descumprir as regras de prioridade, o valor da multa é triplicado.

O recurso arrecado será usado na compra de vacina.Através do site do parlamentar, www.brunoviannaoficial.com, clicando no link https://apptuts.bio/brunovianna, a população pode denunciar o ato de furar a fila da vacinação, encaminhar imagens ou qualquer outro tipo de prova. A lei permanece até o fim do processo prioritário de vacinação contra a Covid-19 em Campos.

O prefeito também sancionou a lei que trata da abertura de templos religiosos e de academias, incluídas, como atividades essenciais durante a pandemia.

Fonte: Folha 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *