Entrada de veículos de turismo é proibida em Arraial do Cabo devido ao coronavírus

A entrada de veículos de turismo em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio, está proibida para prevenção contra o coronavírus. A medida foi anunciada pelo secretário de Turismo, Olavo Carvalho, e passou a valer a partir das 5h desta segunda-feira (16).

Os veículos proibidos são ônibus de viagens, vans e similares. Os ônibus com viagens feitas pelas empresas 1001 e Salineira, além de carros de passeio não estão impedidos de entrar na cidade.

Os passeios de barco também foram cancelados.

Agentes da Guarda Municipal e policiais militares estão no pórtico que fica na entrada de Arraial do Cabo para garantir que o decreto seja cumprido.

A Prefeitura já havia publicado, na sexta-feira (13), um decreto proibindo aglomerações em locais fechados.

Segundo o secretário, houve um aumento no número de turistas que procuraram a cidade depois do decreto do Governo do Estado que suspendeu as aulas e proibiu aglomerações.

“Isso que espantou a gente. Já temos uma quantidade de pessoas que visitam a cidade nessa época e fazem passeio de barco, são 4 mil pessoas diariamente. Com o decreto, as pessoas acham que estão de férias e a procura aumentou”, disse o secretário.

O secretário reforçou que a medida tomada pelo município foi uma atitude emergencial.

“Não estamos confortáveis em tomar essa atitude porque a gente sabe que as pessoas vivem disso aqui, mas tomamos a atitude pra proteger essas pessoas que lidam direto com o público e também os idosos”, afirmou Olavo.

Ainda segundo o secretário, serão realizadas reuniões em parceria com as secretarias de turismo de Búzios e Cabo Frio, que também são cidades muito procuradas por turistas, para buscarem juntos uma forma de proteger toda a população.

Também serão realizadas reuniões com os profissionais que trabalham na área de turismo como passeio de barco e associação comercial.

​Ainda segundo o secretário de Turismo, a partir desta terça-feira (17) uma conduta mais rigorosa será adotada.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *