Mapa de Risco Covid-19: No Noroeste apenas B.J. do Itabapoana se encontra na bandeira laranja, Região Norte se encontra na bandeira amarela

Mapa de Risco Covid-19: estado do Rio de Janeiro avança para bandeira amarela
Mapa de Risco Covid-19: estado do Rio de Janeiro avança para bandeira amarela

A 35ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (18) pela Secretaria de Estado de Saúde, mostra que o Estado do Rio de Janeiro apresentou melhora do cenário epidemiológico, passando para a bandeira amarela (risco baixo de contrair a doença). Entre as cinco regiões com bandeira amarela, Médio Paraíba, Serrana, Baixada Litorânea e Norte se mantêm com risco baixo desde a última análise, já a Metropolitana II passou de risco moderado (laranja) para baixo.

Duas regiões estão com bandeira laranja (risco moderado de contrair a doença): Centro-Sul, que estava com bandeira amarela; e Metropolitana I, que se manteve na laranja. E duas com bandeira vermelha (risco alto): Baía da Ilha Grande, que estava com bandeira laranja na análise passada; e Noroeste, que se manteve na vermelha.

Na região Noroeste apenas o município de Bom Jesus do Itabapoana apresenta bandeira laranja, os demais estão na bandeira vermelha, como mostra o mapa de risco dos municípios, o mapa dos municípios feito pela Secretaria de Saúde de Estado, segue os mesmos critérios usados para classificar as regiões do estado.

A análise compara a semana epidemiológica 22 (30 de maio a 5 de junho) com a 20 (16 a 22 de maio) de 2021.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

O Estado do Rio de Janeiro apresentou uma redução de 18% no número de óbitos, e as internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) caíram 30% na comparação entre as semanas epidemiológicas analisadas. As taxas de ocupação de leitos no estado, nesta sexta-feira (18), são 66% para leitos de UTI e 42% para leitos de enfermaria.

Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *