Onça morre após ser atropelada na RJ-116 na divisa entre Pádua e Miracema

Uma onça parda (Puma concolor), morreu após ser atropelada na RJ-116 na divisa entre Santo Antônio de Pádua e Miracema, na noite desta quinta-feira, 30 de junho.

Nas redes sociais populares se impressionaram com o tamanho do animal. ¨Passei próximo e pensei que era um cachorro.¨

A pedido da Polícia Ambiental, o Secretário de Defesa Civil de Miracema, Glauco Sá, recolheu o corpo do animal e colocou em um freezer para que fosse preservado . ainda de acordo com o secretário, a Polícia Ambiental buscará o corpo do animal nesta sexta-feira. 1° de julho, para realização de exames e estudos. O animal é uma fêmea filhote.

Tem perfil no Facebook? Curta e Siga nossa nova página: CLIQUE AQUI!

A onça parda é o maior membro da subfamília dos felíneos (Felinae), medindo até 155 centímetros de comprimento, sem a cauda, e pesando até 72 quilos, com porte semelhante ao do leopardo (Panthera pardus), sendo o segundo maior felídeo das Américas. Possui coloração variando do cinzento ao marrom-avermelhado, com a ponta da cauda de cor preta, áreas laterais do focinho e ventre de cor brancas. Os filhotes nascem com manchas escuras na pelagem, que geralmente persistem até 14 semanas de idade. Possui as mais longas patas traseiras dentre os felinos. Vivem em média, entre 7,5 e 9 anos de idade.

É um animal solitário e mais ativo à noite. Alimenta-se predominantemente de cervídeos, mas pode variar a dieta, sendo considerada um predador oportunista. A presença de outros carnívoros influencia diretamente a escolha das presas e ambientes de caça. As áreas de vida variam de 50 a 1000 quilômetros quadrados, com machos sendo territoriais e possuindo grandes áreas se sobrepondo ao de várias fêmeas. As fêmeas possuem vários estros no ano, possuem uma gestação que dura entre 90 e 96 dias e geralmente nascem entre 3 e 4 filhotes, a cada 2 anos, aproximadamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.