Grupo de manifestantes vão às ruas em São Fidélis pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro

Manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro foram registradas neste domingo (12) em capitais do Brasil. Organizadas por movimentos políticos e com participação de entidades, como a União Nacional dos Estudantes (UNE), e algumas centrais sindicais, a movimentação foi agendada para ocorrer em 15 cidades ao longo do dia.

No Rio de Janeiro, a manifestação começou após as 10h, na Praia de Copacabana, na altura do Posto 5. Três caminhões de som ocuparam a Avenida Atlântica, mas apenas dois deles foram usados na comunicação com os manifestantes.

Os manifestantes se espalharam por duas quadras da pista da Avenida Atlântica junto à praia, que aos domingos é fechada para o lazer. A manifestação teve o acompanhamento de integrantes da Polícia Militar (PM) e da Guarda Municipal, que se restringiram em ficar posicionados em locais estratégicos, garantindo segurança, sem precisar ser acionados. Pouco depois das 12h30 os manifestantes começaram a se dispersar.

Foto: FOLHA 1

Em São Fidélis no Norte Fluminense,, Militantes do  PT e PSOL foram às ruas, neste domingo, dia 12. O grupo se uniu ao movimento nacional que pede o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Inclusive, na contramão do que as bases nacionais os dois partidos recomendaram de não se envolver no ato promovido pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo movimento Vem Pra Rua. Após o protesto, que teve faixa gigante instalada em uma das pontes da cidade, os organizadores cumpriram agenda de distribuição de cestas básicas já que, segundo o grupo, é preciso ajudar quem tem fome nesse momento difícil pelo qual passa o Brasil.

“É um ato de iniciativa popular, de pessoas que estão insatisfeitas com a realidade do nosso país, onde o custo de vida e o desemprego estão cada dia maiores, levando muitas pessoas à pobreza extrema e também na defesa da democracia que vem sendo diariamente atacada por Bolsonaro”, disse o militante do Psol, Sebastião Neto.

Ainda segundo ele, o grupo de esquerda de São Fidélis entende que o grande problema do Brasil é combater a fome, contendo o desemprego e com a garantia do Estado Democrático de direito. “O atual presidente já se mostrou totalmente incompetente para resolver esses problemas e aposta no caos para não assumir suas responsabilidades”, destaca Sebastião.

Com informações: FOLHA 1 / Foto: FOLHA 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *