Paduanos clamam por uma solução contra os pernilongos, município vive infestação de mosquitos

As noites de Santo Antônio de Pádua não estão sendo mais as mesmas, é como se fosse uma cena de filme de terror que ao anoitecer monstros são liberados para atacar e devorar os humanos.

Não é uma cena de filma, mas o terror é vivenciado de verdade, moradores relatam nas redes sociais que está insuportável dormir, e que não há inseticida que esteja resolvendo essa verdadeira infestação.

Nas redes sociais os munícipes relatam que nunca viram uma quantidade tão grande de mosquitos como estão vendo nesses dias, ¨vão me carregar¨, disse uma cidadã.

Uma moradora fez um registro de como amanheceu o chão de sua residência.

Nossa redação em uma interação com os seguidores perguntou onde o carro fumacê deveria passar e foram mais de mil respostas que após serem analisadas se resumem no município por completo.

De acordo com Superintendente de Vigilância em Saúde do município, Elton Cleber Sanches Amorim. O Elton é conhecido pelo ótimo trabalho de combate à Dengue que coordena no município e falou um pouco pra gente sobre o caso.

Segundo ele, a vigilância do município já vem trabalhando para tentar combater os pernilongos. Esse tipo de mosquito é chamado de Culex, ele não transmite Dengue, Zika ou Chikungunya como o Aedes aegypti. Ele prefere colocar seus ovos em criadouros bastante poluídos, com muita matéria orgânica em decomposição. Então como estamos com o clima muito quente e sem chuvas, os locais onde possui valas ou valões está com um número muito grande de mosquitos, causando problemas para a população.

Ele falou ainda que já passaram em alguns locais críticos com o fumacê, mas está sendo usado somente em último caso, pois seguem a recomendação do Ministério da Saúde, e devido a pandemia e pela covid-19 ser uma doença respiratória, o fumacê pode ser prejudicial, pois é um veneno. Mas de qualquer forma, durante essa semana será feito diversas ações, desde fumacê à trabalhos de limpezas nas valas e valões de alguns pontos, como na Cidade Nova.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *