PIRAPETINGA PRECISA DE UM ANEL RODOVIÁRIO URGENTE!

A Prefeitura de Pirapetinga está realizando, por conta própria, obras em sua rede pluvial no trecho da BR 393 que corta a cidade, e para tal, interditou o trânsito nesta via. Motoristas devem evitar este trecho, pois não há passagem por dentro da cidade e a única maneira segura de seguir viagem sem precisar retornar é pegando outro trajeto que não precise passar por Pirapetinga. No entanto, a solução definitiva seria a construção de um anel rodoviário, como o projeto (estudo) da imagem em anexo, para desviar o trânsito pesado do centro da cidade.

A BR 393, que corta Pirapetinga, era denominada como rodovia “Rio-Bahia” por ser uma das mais antigas e importantes rotas entre o estado do Rio e o Nordeste brasileiro. Esta estrada foi iniciada e concluída na década de 1950, uma época que por aqui só circulava o trem pela ferrovia, e nas estradas somente carros de boi e alguns poucos veículos automotores como ônibus, caminhões de leite e poucos veículos particulares. Acontece que nestes 69 anos, o Brasil cresceu, o número de veículos cresceu, o número e o valor de pedágios em outras vias subiram, mas a BR 393 em Pirapetinga, mesmo recebendo pouca manutenção, continua sendo uma rota para motoristas e caminhoneiros que, apesar de perderem alguns minutos no trânsito interno por conta das ruas estreitas, economizam um valor significativo devido a ausência de pedágios neste trecho.

Hoje em dia o trânsito pesado que passa diariamente pela cidade de Pirapetinga afeta a vida dos moradores de tal forma que em certos momentos chega a ser insuportável, causando não apenas desconforto, mas colocando em risco a vida de cidadãos Pirapetinguenses, seja a longo a prazo, pela exposição contínua ao estresse, poluição e redução da qualidade de vida, ou mesmo de imediato, já que por alguma ocasiões até mesmo ambulâncias são impedidas de sair ou chegar até o Hospital Municipal que fica bem no centro da cidade, e tem como única via de acesso a rodovia.

Há ainda o prejuízo material, já que sobra para a Prefeitura e cidadãos os custos com a manutenção de calçamentos, calçadas, redes pluviais, postes, etc. A Prefeitura já é responsável pelos cerca de 400Km de estradas vicinais no município, que demandam maquinário pesado, caminhões, mão e obra e insumos e ainda se vê obrigada a destinar recursos materiais e humanos para tentar resolver ou no mínimo amenizar problemas que não são de sua responsabilidade, mas sim do governo federal ou estadual.

Outros prefeitos de Pirapetinga já tentaram alguma uma solução em diferentes esferas governamentais. Nenhum obteve sucesso. O atual prefeito, Enoghalliton, por diversas vezes buscou apoio de outras autoridades para o problema do trânsito local, enviando como proposta de solução o projeto para a criação de um anel rodoviário que tiraria o trânsito pesado de dentro da cidade, projeto este já perseguido por seus antecessores e até o momento, sem perspectiva de que possa ser implementado.

Porém, infelizmente, a realidade é que um anel rodoviário requer muitas desapropriações de terrenos, construção não apenas de estradas asfaltadas, mas também de grandes pontes, e, portanto trata-se de uma obra cara que aparentemente não interessa ao governo estadual ou federal, já que seria gastar muito dinheiro para supostamente beneficiar apenas cerca de 10 mil habitantes. Motivo pelo qual o prefeito resolveu que a única maneira de pleitear uma solução definitiva é tendo coragem de realizar as obras necessárias ao município, mesmo que isto interdite o trânsito na BR 393, mas ao menos talvez esta medida, que conta com o apoio de maioria da população local, chame a atenção das autoridades estaduais e federais para se empenharem na solução do problema.

Fonte: Prefeitura Municipal de Pirapetinga

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *